Menor dólar australiano impulsiona mercados de gado da Austrália em 2015

A posição da Austrália como exportador líquido de carnes vermelhas significa que as flutuações de moeda podem ter uma grande influência nos fluxos globais de comércio e, consequentemente, impactar nos preços dos animais. De um ponto de vista de exportações, o dólar australiano tem trabalhado em favor da Austrália em 2015 – começando o ano em US$ 0,82 e, em 27 de outubro, fechando em US$ 0,73. Isso significou que a competitividade da Austrália melhorou para qualquer carne comercializada em termos de dólar americano.

O declínio do dólar australiano ocorreu durante o mesmo período de correção no mercado de gado dos Estados Unidos e, como resultado, significou que os preços dos gados australianos, foram amortecidos do impacto dos EUA. Isso é importante, à medida que há uma correlação de longa data entre os preços dos gados dos Estados Unidos e da Austrália.

Do lado da demanda, enquanto os Estados Unidos são o maior importador de carne bovina produzida a pasto da Austrália, é também um competidor nos mercados como Japão e Coreia. Influenciado pelo dólar australiano mais fraco com relação ao dólar americano, a participação da Austrália no mercado de carne bovina importada da Coreia e do Japão melhorou em 2014-15, em 56,3% e 56,6%, respectivamente. A moeda australiana deverá continuar sob pressão em 2016, segundo o Business Monitor International (BMI), tendo sido prevista em US$ 0,63. Isso ajudará mais o mercado pecuário do país.

Fonte: Meat and Livestock Australia (MLA), traduzida e adaptada pela Equipe BeefPoint.