Conceito de bem-estar na fazenda vai além das boas práticas com os animais [Vídeo]

De acordo com Paranhos, o tema bem-estar começou a se estabelecer nas discussões da pecuária brasileira a partir do início dos anos 2.000, junto à crescente exportação brasileira de carne bovina. O que seria uma exigência mercadológica passou a conectar todos os elos da cadeia por um bem maior para seus agentes. Paranhos destacou que hoje se sabe que, muito além de promover boas condições de vida para os animais, as boas práticas significam melhoria da qualidade de vida dos colaboradores da fazenda e ainda melhor retorno financeiro para o pecuarista pelo aumento de produtividade dos animais.

“Um animal agitado, estressado e até agressivo coloca as pessoas em risco de acidente e com certeza deixa todos estressados. Então é um sistema fechado. A questão do bem-estar animal envolve as pessoas no ambiente de trabalho e na casa deles, porque quando eles saem do trabalho e vão pra casa estressados e cansados, eles levam consigo esse estresse e acaba influenciando toda família. Então tem exemplos maravilhosos de como a adoção de boas práticas de manejo, os cuidados com os animais e consigo próprio alterou a qualidade de vida na fazenda”, disse o professor da Unesp.

Embora as mudanças não sejam tão velozes, o professor destaca que elas vêm para ficar e acrescentam mudanças expressivas para o setor. “A cada ano eu vejo avanços significativos e a gente vai progredindo para chegar a cada dia melhor e num ponto de ser reconhecido internacionalmente como um país que tem um bom trabalho nesta área”, declarou Paranhos em conversa com o apresentador Marco Ribeiro.