Sob pressão, preços do boi gordo mantêm tendência de queda

O mercado físico de boi gordo registrou preços em queda nesta sexta-feira, dia 8 de outubro. De acordo com o analista da Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, o ritmo de negócios foi mais lento, mas houve novamente registros de transações ocorrendo até mesmo abaixo das referências médias.

“Muitos frigoríficos passaram a se ausentar da compra de gado, apostando em preços ainda mais baixos no curto prazo. A percepção geral é que tanto o mercado doméstico como vários outros não conseguem absorver boiadas precificadas a 300 reais por arroba”, disse Iglesias.

Com isso, em São Paulo, Capital, a referência para a arroba do boi ficou em R$ 274 na modalidade à prazo, ante R$ 275 na quinta-feira. Em Goiânia (GO), a arroba teve preço de R$ 255, ante R$ 260. Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 272, contra R$ 274 – R$ 275. Em Cuiabá, a arroba ficou indicada em R$ 263, contra R$ 266. Em Uberaba, Minas Gerais, preços a R$ 275 a arroba.

Atacado

A carne bovina registrou preços estáveis no mercado atacadista. A perspectiva ainda é de queda, mesmo durante a primeira quinzena do mês que teoricamente possui maior apelo ao consumo. “O cenário segue preocupante, com os frigoríficos aumentando a pressão na compra de gado. Os frigoríficos seguem com câmaras frias lotadas, e existe possibilidade de parte desse estoque ser disponibilizado no mercado doméstico nas próximas semanas, o que seria desastroso para os preços da carne bovina no atacado que simplesmente desabariam, com potencial para contaminar as demais proteínas de origem animal”, alertou Iglesias.

Com isso, o corte traseiro foi precificado a R$ 21 por quilo. O quarto dianteiro foi precificado a R$ 15 por quilo. Já a ponta de agulha foi precificada a R$ 14,80 por quilo.

Abrir
Olá, precisa de alguma informação sobre a raça?