Reprodutores Bonsmara saem a 61,2 arrobas

Fazenda Santa Silvéria, de Clélia Pacheco, fez a segunda oferta da raça no ano 

Alisson Freitas

A criadora Clélia Brissac Pacheco encheu o Recinto de Leilões Mello Moraes, em Bauru, SP, com o Leilão Fazenda Santa Silvéria, realizado na noite de 18 de setembro. Foram comercializados 106 animais com a genética trabalhada pela criadora em Piratinga, no interior de São Paulo, e por convidados especiais, como a Fazenda Santa Joana. A fatura foi de R$ 802.800, com média geral de R$ 7.573.

Os touros foram os protagonistas da oferta, com 80 lotes à média de R$ 7.902. Na cotação do dia, o valor é equivalente a 61,2 arrobas de boi gordo para pagamento à vista na praça de Araçatuba (R$ 129/@). A média para os 60 produtos levados pela anfitriã foi de R$ 7.852, enquanto os 20 exemplares da Santa Joana atingiram cotação de R$ 8.052. “Os touros Bonsmara estão aptos para trabalhar a campo nas mais diversas regiões do País. Os filhos do cruzamento imprimem maior adaptabilidade, fertilidade e velocidade de ganho de peso”, avalia Clélia Pacheco.

Em números modestos, as fêmeas também conseguiram seu lugar ao sol, com 26 novilhas negociadas à média de R$ 6.563. Os 16 lotes da Fazenda Silvéria saíram à média de R$ 7.155, enquanto 10 dos convidados atingiram o preço médio de R$ 5.616.

Foi o segundo leilão com exclusivo de Bonsmara de 2014, superando o ano passado em oferta de animais e faturamento. De acordo com o Banco de Dados DBO foram comercializados até o momento 112 machos, ao preço médio de R$ 8.044; e 56 fêmeas a R$ 8.029, totalizando 168 animais por R$ 1,3 milhão. Em todo o ano passado, a raça movimentou R$ 708.680.

A organização foi da Central Leilões e a transmissão do Canal do Boi. As vendas foram seladas na batida do martelo do leiloeiro Lourenço Miguel Campo, com pagamentos distribuídos em 24 parcelas.