Preços têm altas pontuais do Boi Gordo no Brasil, com demanda chinesa no foco

O mercado físico de boi gordo registrou preços estáveis a mais altos nesta terça-feira. Segundo o analista de Safras & Mercado, Fernando Henrique Iglesias, apesar de algum conforto das escalas de abate, os frigoríficos não conseguem exercer pressão, principalmente no que diz respeito aos animais que cumprem os requisitos de exportação com destino ao mercado chinês, muito demandados no mercado neste momento. “É para esses animais que são evidenciados negócios acima da referência média”, assinalou o analista.

As especulações em torno do mercado chinês seguem em curso, enquanto os preços físicos da suinocultura local seguem em queda. O governo chinês sinaliza para um franco processo de recomposição do seu plantel, com o rebanho de suínos alcançando muito próximo ao patamar anterior ao surto de Peste Suína Africana.

Na primeira quinzena de julho o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgará um relatório atualizando as projeções relacionadas aos números do Setor Carnes, com um grande enfoque em relação à China.

Com isso, em São Paulo, Capital, a referência para a arroba do boi ficou em R$ 320, na modalidade a prazo, ante R$ 319 a arroba na segunda-feira. Em Goiânia (GO), a arroba teve preço de R$ 305,00, estável. Em Dourados (MS), a arroba foi indicada em R$ 313, inalterada. Em Cuiabá, a arroba ficou indicada em R$ 309, inalterada. Em Uberaba, Minas Gerais, preços a R$ 316 a arroba, contra R$ 314.

Enquanto isso, no mercado atacadista, os preços da carne bovina seguem acomodados. Com isso, o corte traseiro teve preço de R$ 20,30 o quilo. O corte dianteiro teve preço de R$ 17,30 o quilo e a ponta de agulha permaneceu em R$ 17,40 o quilo.

De acordo com Iglesias, o ambiente de negócios ainda sugere por maior espaço para reajustes no decorrer da primeira quinzena do mês, período que conta com maior apelo ao consumo, considerando a entrada dos salários como motivador da reposição entre atacado e varejo. “Reforçando que a carne de frango ainda dispõe da predileção do consumidor médio, algo natural com a atual situação macroeconômica”, ressalta Iglesias.

Abrir
Olá, precisa de alguma informação sobre a raça?