Pecuária terá de investir em genética para multiplicar produção em 11 vezes

Em valor de exportação calculado em 30 anos, o Brasil deverá passar de US$ 5 bilhões de carne embarcada ao exterior em 2012 para US$ 28 bilhões previstos para 2042.

Pesquisadores avaliam que, para chegar a esse resultado, será preciso investir na qualidade genética do rebanho nacional. O setor, observa ele, necessita melhorar sua produtividade. Além de obter uma melhor qualidade de carcaça, o melhoramento genético eleva o número de ocupações nos pastos. Em entrevistas afirmam que, com investimento em genética, a produção pode subir de uma unidade para duas em um hectare. “Existem propriedades modelo que já conseguiram atingir a marca de 10 unidade/animal por hectare“, explicam.

No Paraná, apesar de a pecuária ter perdido espaço para a agricultura, os produtores que continuaram na atividade têm investido em animais com alta qualidade genética.

Mercado

Devido à crise econômica brasileira, o mercado interno passa por dificuldades, o valor elevado da arroba e a abertura do mercado brasileiro de carne para os Estados Unidos e China têm garantido certa estabilidade para o setor.

Segundo o Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab), o valor da arroba de boi no Paraná é de R$ 138,32. De acordo com o Deral, o Paraná possui um plantel que gira em torno de 6,4 milhões de cabeças de gado de corte.

 

Fonte