IZ desenvolve produto natural capaz de combater carrapatos em bovinos

Após quase um ano de desenvolvimento, uma formulação de um produto à base de óleos essenciais, capaz de controlar carrapatos em bovinos de forma rápida e eficiente, está pronta para ser comercializada.

A fórmula foi desenvolvida pelos pesquisadores do Instituto de Zootecnia (IZ-Apta), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Cecília José Veríssimo e Luciana Morita Katiki, e o aluno de pós-graduação em Produção Animal Sustentável do IZ, o farmacêutico Leandro Rodrigues, em parceria com o bioquímico Germano Scholze, proprietário da empresa HYG System.

Segundo os pesquisadores do IZ, no mundo todo empresas e cientistas buscam o desenvolvimento de formulações alternativas, de origem natural, para o controle dos carrapatos em bovinos, devido à resistência destes aos produtos químicos. O Instituto de Zootecnia é ligado à Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta).

O produto foi desenvolvido em pesquisa realizada pelo IZ desde 2015. No ano passado, o projeto recebeu aporte financeiro da empresa HYG System, por meio de um termo de cooperação técnico-científico de desenvolvimento conjunto, que teve a assessoria técnica do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT-IZ/Apta), da negociação ao instrumento jurídico firmado.

O diferencial do produto é a não-utilização de composto sintético em sua formulação, e sua ação rápida sobre os carrapatos. Em testes in vivo, ou seja, realizados no animal, ocorre a morte de diversas fases do carrapato (larvas, ninfas, machos e fêmeas) em 48 horas, reduzindo significativamente a contagem de carrapatos nos animais logo na primeira semana. O teste in vitro mostrou 100% de mortalidade da fêmea, que nem chega a por ovos.

“Normalmente, os produtos químicos utilizados na forma de aplicação Pour-on (aplicação no fio do lombo) demoram de sete a 10 dias para começar a agir. Quanto mais rápida a eliminação dos carrapatos, principalmente das fêmeas que sugam o sangue do animal, mais rápida será a recuperação do peso e produtividade”, explica Rodrigues.

Outro diferencial é a ação sob todas as fases do carrapato. Após a aplicação do produto, as fêmeas ingurgitadas e demais fases dos carrapatos secam, de modo que não chegam a por ovos. “Com isso, há eliminação de grande parte da população, o que evita a resistência dos carrapatos ao produto. A resistência é um dos grandes problemas para o controle do carrapato e este carrapaticida natural consegue driblá-lo”, afirma Scholze.

O preço do produto no mercado deve competir com os carrapaticidas em uso. “A aplicação é feita pulverizando as áreas onde há maior contração de carrapatos, como períneo, axila, barriga ou pescoço. Esta é mais uma opção que a pesquisa paulista disponibiliza aos produtores rurais”, diz Cecília, que trabalha com o controle do carrapato-do-boi há mais de 30 anos e diz nunca ter visto um produto alternativo tão eficiente quanto este.

Fonte: BeefPoint