DESTAQUE NA GLOBO – Bonsmara é rústico e agrada criadores do interior paulista

O gado bonsmara surgiu na década de 30 a partir da seleção de três raças, feita pelo zootecnista Jean Bonsman. De origem sul-africana, ela foi desenvolvida para resistir às altas temperaturas dos trópicos. Por isso, a adaptação foi considerada boa em fazendas do interior de São Paulo.

 

 

Clélia Pacheco cria bonsmara em Piratininga (SP) e relatou para o Nosso Campo que, antes de conhecer a raça, usava os gados nelore e angus no cruzamento industrial. Isso gerava fêmeas meio sangue bem produtivas. Para manter essa característica, ela procurou uma terceira raça para fazer a inseminação.

Na época, os primeiros embriões de bonsmara estavam chegando ao Brasil e ela acreditou na raça. O resultado foi o nascimento de bezerros adaptados, com engorda feita a pasto e fêmeas que continuaram produzindo mais cedo.

Entre as características do bonsmara estão o porte mais baixo, a precocidade, a pelagem de tom marrom avermelhado e o pelo mais curto.

O pecuarista Rafael Muñoz Gaeta também aposta na raça e investe em inseminação artificial. Segundo ele, a raça gasta menos energia para se adaptar ao clima. Além de aguentar as temperaturas mais altas, vai bem em áreas de temperaturas médias, como as registradas na propriedade em Avaré (SP).

 

 

MATÉRIA PUBLICADA EM: CLIQUE AQUI