Cepea: Confira análise conjuntural sobre o setor pecuário

I – Análise Conjuntural

ANÁLISE CEPEA – Os preços do boi gordo encerraram outubro estáveis, confirmando o cenário observado no correr de praticamente todo o ano. O Indicador ESALQ/BM&FBovespa (estado de São Paulo) acumulou leve recuo de 0,5% no mês, fechando a R$ 150,61 no dia 31. No balanço de 2016, a variação é positiva em apenas 1%.

Ainda que a oferta de animais para abate tenha seguido relativamente restrita, frigoríficos não mostraram grande interesse de compra no correr de outubro, limitando reajustes da arroba. Além dos lotes adquiridos antecipadamente, por meio principalmente dos contratos a termo, e das compras efetuadas em outros estados, o fraco desempenho do mercado de carne reforçou a postura retraída da indústria no mercado paulista. Frigoríficos alegavam fracas vendas no varejo.

No acumulado de outubro, a carcaça casada bovina se desvalorizou 4,6%, com o quilo do produto cotado a R$ 9,82 no dia 31, no atacado da Grande São Paulo. Desde o encerramento de 2015, a variação é negativa em 3,3%.

O fato é que, em função da oferta reduzida, os preços se mantiveram em patamares elevados. Na média parcial deste ano, o Indicador do boi gordo está em R$ 153,55, alta de 5,8% em relação à de período equivalente de 2015. Vale ressaltar que, no ano passado, foram observados os maiores patamares de toda série histórica do Cepea, iniciada em 1994, com o recorde sendo verificado em abril, de R$ 169,73 (valores deflacionados pelo IGP-DI de set/16).

Para a carne, de janeiro a outubro, a média é de R$ 9,85/kg, 5,5% superior à de igual intervalo do ano passado, em termos nominais. A máxima real do produto também foi registrada em abril/15, de R$ 10,86/kg – série iniciada em 2000.

No mercado de reposição, apesar das chuvas, muitos pastos ainda não se recuperaram, pressionando os valores do bezerro. O Indicador ESALQ/BM&FBovespa do bezerro (Mato Grosso do Sul) recuou 3,7% em outubro, fechando a R$ 1.238,64. A média do bezerro negociado em São Paulo caiu 3,1% no mesmo período, indo para R$ 1.253,28.

EXPORTAÇÃO – As exportações brasileiras de carne bovina in natura caíram 10,3% de setembro para outubro, somando 83,42 mil toneladas, segundo dados da Secex. No acumulado de 2016 (de janeiro a outubro), as exportações brasileiras de carne bovina somam 914,54 mil toneladas, 4,5% acima da quantidade do mesmo período do ano passado.

A receita com as exportações da carne caiu 8% somou US$ 357,67 milhões em setembro, 10,8% superior à de set/16. De janeiro a outubro, o montante corresponde a US$ 3,65 bilhões, 3,85% abaixo da adquirida de janeiro a outubro de 2015, ainda conforme a Secex.

II – Séries Estatísticas Cepea

1. Médias mensais da arroba do BOI GORDO

captura-de-tela-2016-11-10-as-12-59-50

2. Médias mensais do BEZERRO

captura-de-tela-2016-11-10-as-13-01-20

3. Relações de Troca – BOI GORDO/ BEZERRO

captura-de-tela-2016-11-10-as-13-01-42

III – Gráficos

BOI GORDO

captura-de-tela-2016-11-10-as-13-04-49

captura-de-tela-2016-11-10-as-13-05-15

BOI E CARNE

captura-de-tela-2016-11-10-as-13-05-39

BEZERRO

captura-de-tela-2016-11-10-as-13-06-00

Fonte: Cepea.