Brangus ou Bonsmara: qual gera mais heterose no cruzamento com Nelore?

Nesta terça, 18, o quadro “Zadra Responde” solucionou a dúvida de um produtor do interior de São Paulo. O pecuarista Edson Caldeira, com propriedade no município de Flórida Paulista-SP, questionou: “O que a gente poderia esperar do cruzamento da raça Brangus com o Nelore? Seria melhor a gente utilizar o Bonsmara no Nelore? O que você pensa a respeito disso?”.

A dúvida foi respondida pelo zootecnista Alexandre Zadra, autor do blog “Crossbreeding” e supervisor regional comercial da Genex para os estados do Acre, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Rondônia.

“Nós devemos sempre pensar, quando fazemos cruzamento, em gerar heterose máxima na progênie, ou seja, utilizar um taurino com a nossa base zebuína. Neste caso o Bonsmara vai gerar mais heterose, ou seja, uma carne macia e com maiores ganhos de produtividade do que utilizar um Brangus sobre a Nelore. Logicamente que o Brangus também tem muitos anos de seleção e este resultado também será bom, contanto que você use touros Brangus e Bonsmara provados. Lembro que a diferença entre touros é muito maior do que a diferença entre raças”, alertou.

Veja a resposta completa no vídeo abaixo:

“Para você ter um maior ganho, eu sugiro primeiramente utilizar o Bonsmara no seu gado, depois você entra com um Brangus gerando heterose e agregando genética aditiva de um Brangus, que também tem uma seleção de muitos anos”, concluiu.

Por que Bonsmara?

"O aspecto mais importante da criação de gado de corte é sua adaptação a um ambiente específico."

- Prof. Jan Bonsma

Saiba mais sobre a raça Bonsmara e por que ela pode mudar a realidade de sua fazenda.

ddd
logo
Group-2-copy1